SINDIÁGUA-PB

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação da Água e em Serviços de Esgotos do Estado da Paraíba

31 milhões de brasileiros vivem em locais com esgoto a céu aberto

21 de agosto de 2012

O sistema de saneamento básico do Brasil tem três décadas e mais da metade da população das cem maiores cidades brasileiras não conta com a coleta de esgoto adequada. Especialista diz que para resolver apenas os problemas com a água e o esgoto no Brasil até 2030, de acordo com o Plano Nacional de Saneamento básico, serão necessários investimentos superiores a R$ 270 milhões.

De acordo com o levantamento feito pelo Instituto Trata Brasil em parceria com a empresa GO Associados, as cem maiores cidades brasileias enfrentam falta generalizada de serviços e não somente de água.

O presidente do Instituto Trata Brasil, Edison Carlos, diz que cerca de 8 bilhões de litros de fezes, urina e outros dejetos são lançados em córregos, rios e no mar. “Pouco mais de um terço ou 36,28% desse volume passa por tratamento.

As cidades estudadas abrigam 40% dos habitantes do País, 77 milhões de um total de 191 milhões de pessoas. De acordo com a pesquisa, mais de 31 milhões moram em lugares em que o esgoto corre a céu aberto. Em 34 municípios pesquisados, mais de 80% da população tem o esgoto coletado e entre estas apenas cinco atendem toda a cidade: Belo Horizonte (MG), Santos (SP), Jundiaí (SP), Piracicaba (SP) e Franca (SP).

Segundo a pesquisa, os cem municípios aplicaram, em média,28% da receita em obras de saneamento. Entre as oito cidades que aplicaram mais de 80% da verba estão: Ribeirão das Neves (MG), Recife (PE), Teresina (PI), Praia Grande (SP) e Vitória (ES).

“O problema é que o saneamento não é a principal preocupação dos brasileiros. A coleta de esgoto é o setor que mais precisa de investimentos”, diz Carlos. “Se continuarmos no ritmo atual, os problemas com a coleta de esgoto do Brasil, por exemplo, só serão resolvidos daqui vinte anos.”

Para o sistema de saneamento funcionar, o presidente do Instituto Trata Brasil, diz que são necessárias muitas mudanças, não apenas nas redes que tratam os esgotos, mas na distribuição de água para população. “O Brasil tem grande desperdício de água e um dos motivos é o desvio dela em locais que a fonte não chega de forma oficial”, explica Carlos.

O levantamento colocou as cem cidades em ranking. Os primeiros colocados possuem melhor saneamento quanto ao atendimento de água tratada, coleta de esgoto, tratamento de esgotos, investimento em saneamento, distribuição de água tratada e economia de água. Os cinco primeiros colocados são, respectivamente: Santos (SP), Maringá(PR), Franca (SP), Uberlândia (MG), Jundiaí (SP). Já os cinco últimos são: Santarém (PA), Ananindeua (PA), Joboatão dos Guarapes (PE), Porto Velho (RO) e Macapá (AP).

Os indicadores são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico (SNIS), publicado pelo Ministério das Cidades (base 2010). Mais informações: www.tratabrasil.org.br.

Fonte: NFU/24 horas news

%d blogueiros gostam disto: