SINDIÁGUA-PB

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação da Água e em Serviços de Esgotos do Estado da Paraíba

Sindicato aciona Ministério Público do Piauí contra ‘privatização’ da Agespisa –

14 de dezembro de 2012

A entrada da Agespisa amanheceu com faixas e cartazes na manhã desta terça-feira (04). Em reivindicação à proposta lançada ontem pelo presidente da empresa, Raimundo Neto Nogueira para melhorar o serviço de água e esgoto de Teresina, o Sindicato dos Engenheiros do Piauí – SENGEPI e Sindicato dos Urbanitários do Piauí – SINTEPI reclamaram a sugestão.

A proposta apresentada pela Agespisa é que sejam repassados seus serviços para empresas privadas e que a empresa subdelegada realize investimento de cerca de R$ 1 bilhão ao longo dos 10 primeiros anos de contrato, tornando-se responsável pela implantação, operação e manutenção dos sistemas de água e esgoto de 30% de Teresina.

Antônio Florentino Filho, presidente do Sindicato dos Engenheiros do Piauí – SENGE- PI explica o motivo de não concordarem com a sugestão: “Não concordamos com a privatização do saneamento. Já foi experimentado em 2006 e não deu certo. A Agespisa é uma empresa altamente produtiva e não concordamos que a saúde do consumidor seja colocada assim. É uma verdadeira privatização. A Agespisa precisa ser profissional e entregar a função aos técnicos de saneamento”.

Antônio Florentino indica que dinheiro não é o problema: “Sempre tivemos dinheiro do PAC para viabilizar projetos e ainda fizeram licitação porque não querem. Com certeza há interesses e são de grupos econômicos para abocanhar parcelas. Há recursos do Governo Federal. Pararam as obras de saneamento e esgotamento para lançar essa proposta. Recurso tem, falta é capacidade administrativa”.

“Hoje buscaremos o edital de Consulta Pública, lançado ontem pelo presidente e que está disponível na FIEPI para fazer uma consulta técnica e jurídica. O Ministério Público já foi acionado e hoje sentamos com os urbanitários para organizar ações. Vamos buscar o prefeito e ver se ele concorda com a medida, além de buscarmos a comunidade”, explica o presidente.

Francisco Ferreira, vice-presidente do Sindicato dos Urbanitários do Piauí disse: “É uma proposta demagoga, onde a empresa privada tem interesse de lucro”. Ele comenta que não é a proposta ideal e com ela se quer apenas enriquecer grupos.

“Nós propomos que sejam implantados diretorias que olhem pela sociedade. Não precisamos de 7 diretorias. Queremos trabalhar com planejamento e metas. Hoje não se tem entendimento dessas diretorias e o presidente nem se reúne com elas”.

A Agespisa chama a proposta de Contrato de Subdelegação Parcial da Prestação de Serviços Públicos de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário de Teresina. A alternativa será apresentada à população por meio de consulta pública, contando com audiência no dia 14 de dezembro.

 Fonte: Sintepi

%d blogueiros gostam disto: