SINDIÁGUA-PB

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação da Água e em Serviços de Esgotos do Estado da Paraíba

STIPDASE-PB participa na FNU de debate da terceirização, conjuntura, saneamento, setor elétrico e organização sindical no Rio de Janeiro

20 de maio de 2013

20130515_102742_05-16-2013A FNU realizou no dia 15 de maio, no Rio de Janeiro, reunião com a direção executiva e presidentes dos sindicatos filiados. Esteve presente para debater a conjuntura nacional e econômica, o membro da direção executiva da CUT, Aparecido Donizete. Para debater a organização sindical, inclusive da FNU com relação à criação da CNU, foi convidado Jacy Afonso, secretário de organização da CUT. A Federação também debateu a terceirização nos setores, a questão do saneamento e as privatizações e o momento delicado pelo qual atravessa o setor elétrico nacional, que sinaliza para uma nova onda de privatizações e demissões.

Segundo o presidente da FNU, Franklin Moreira, o Governo tem mudado o eixo da sua política econômica, saindo da valorização da massa salarial, para apostar no setor industrial, por isso é fundamental os trabalhadores se prepararem para mudanças. Portanto, a mobilização será estratégica para defender os direitos da categoria.

Na opinião de Franklin diante desse cenário será preciso se articular. “Temos que buscar aliados no Congresso que estejam dispostos a dialogar com o movimento sindical. Além disso, temos que abrir para a sociedade os problemas que os trabalhadores estão enfrentando, de demissões e privatização”, ressaltou.

Para Jacy Afonso, o Governo hoje não tem diálogo com o movimento sindical. “As pessoas confundem audiência com interlocução. Na verdade, vivemos no dia a dia um projeto de desqualificação do movimento sindical”, alertou.

A mesa que discutiu os setores de saneamento e energia, contou com a participação do secretário de saneamento, Rogério Matos, e do assessor de saneamento da FNU, Edson Silva. Nos debates ficou claro que apesar das luta contra as PPPs existe em andamento em vários estados a disposição de se adotar esse modelo, contando até mesmo com recursos oriundos do Plansab. Por isso, foi afirmado por todos que é preciso reforçar as mobilizações, atraindo os movimentos sociais e a população, bem como a participação nas instâncias de debate dentro do Governo.

A discussão sobre a terceirização mostrou o quanto esse tema tem preocupado os urbanitários, pois atinge todos os ramos. Hoje, uma das agendas do setor privado é a flexibilização dos direitos trabalhistas, se o PL 4330/04 do deputado Sandro Mabel (PR-GO) passar seus efeitos serão desastrosos para os trabalhadores. O secretário de Relações do Trabalho e Negociação Coletiva da FNU, Élvio Vargas, representante da federação no GT de terceirização da CUT, disse que é preciso aprofundar os debates sobre esse tema, que é polêmico dentro das entidades. Segundo ele, melhorar a representação e a condição do terceirizado obriga as empresas a diminuir a terceirização nas empresas.

Nesta quinta-feira, dia 16, acontece o planejamento estratégico da FNU, com o objetivo de direcionar as estratégias de luta e ações para os próximos dois anos. Para essa importante atividade estão presentes os membros da direção executiva.

%d blogueiros gostam disto: