SINDIÁGUA-PB

Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação da Água e em Serviços de Esgotos do Estado da Paraíba

Unidade de sindicatos em conjunto com a FNU amplia a luta contra privatização branca

20 de fevereiro de 2013

O SINDÁGUA e várias entidades sindicais de trabalhadores fizeram uma manifestação ontem, segunda-feira, 18/02, na porta da Copasa, contra o processo de Parceria Público Privada (PPP) do Rio Manso.

Em assembleia do Conselho de Administração, na mesma tarde, foi elevado o valor do investimento a ser transferido para a eventual empreiteira que eventualmente vencer a licitação para as obras da PPP.

Mobilização contra o entreguismo

O SINDÁGUA lembrou vários pareceres técnicos demonstram que não há necessidade desta PPP, além da completa capacidade técnica da própria Copasa realizar as obras quando ficar comprovada uma exigência de ampliação de sistema. O presidente da FNU, Franklin Moreira, criticou a iniciativa da Copasa com a PPP do Manso e lembrou que se assemelha a projetos desenvolvidos na Cemig para repassar a iniciativa privada. Franklin antecipou que uma grande mobilização será realizada em março em todo o País, denunciado os processos de PPP que põem em risco o patrimônio público de empresas que prestam serviços essenciais e que são transferidos para a iniciativa privada como filões de lucratividade.

O presidente do SINDÁGUA, José Maria Santos, condenou o processo de “privatização” dos serviços de saneamento, lembrando tratar-se de atividade essencial à saúde da população. “O que estamos vendo é a empresa e o próprio Estado fugir da sua responsabilidade constitucional com o saneamento, entregando os serviços a quem busca apenas o lucro e que enxerga a população apenas como consumidora e perspectivas de lucros com tarifas. Com este tipo de iniciativa só podemos esperar a elevação das tarifas dos serviços essenciais, prejudicando, sobretudo, a população mais pobre”. O presidente do sindicato fez analogia desta PPP com a que aconteceu com o Mineirão, de onde o torcedor praticamente foi expulso por causa da astronômica elevação dos preços dos ingressos e dos serviços prestados dentro do estádio.

 PPP é uma forma de extinguir as responsabilidades públicas das empresas estatais, se transformando em um processo de inversão dos avanços alcançados com a inclusão social. Os pobres vão perdendo o acesso aos serviços básicos simplesmente porque não conseguem pagar a ganância dos lucros da inciativa privada, que entra nos negócios.

 Os vários dirigentes que se manifestaram em frente à sede da empresa confirmaram que vão intensificar a luta contra os processos de PPP e denunciar os graves prejuízos imputados à população.

Fonte: Sindágua-MG/FNU

%d blogueiros gostam disto: